Mestrado e Doutorado

 

1. Disciplinas obrigatórias

 

Área de Concentração: Desenvolvimento Socioambiental

 

Fundamentos Epistemológicos da Interdisciplinaridade (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Ciência e pesquisa científica;Métodos: indução e dedução; Processos de investigação científica; Lógica e ciência, a estrutura dos enunciados, teorias e hipóteses; O método hipotético-dedutivo; A caracterização da ciência: teorias passíveis de refutação; A complexidade; As concepções de interdisciplinaridade nas ciências; A construção de novos objetos do conhecimento por meio da interdisciplinaridade; O ser humano na centralidade da interdisciplinaridade como programa antropológico; Interdisciplinaridade e métodos comparativos; Interdisciplinaridade e complexidade na Ecologia Humana.

 

Fundamentos Teóricos do Desenvolvimento (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Contribuir para ampliar o debate sobre teorias do desenvolvimento a partir da  crítica à modernidade e ao  colonialismo nas perspectivas da modernidade, racionalidade, eurocentrismo e esquemas interpretativos sobre poder, dominação, estado e políticas. Colonialismo e pós-colonialismo. Teorias do desenvolvimento e suas criticas. Pós-desenvolvimento. Leituras sobre a descolonização do saber e a produção de uma sociologia integrada aos processos históricos da América Latina.

 

Planejamento Regional e Urbano (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Formação territorial, cultura política e desigualdades regionais no Brasil: origens, causas e consequências do atraso econômico e social do Brasil e da Amazônia em relação aos países desenvolvidos; Planejamento regional, desenvolvimento e globalização; Fundamentos teóricos e estratégias políticas do planejamento público; Planejamento e gestão pública no Brasil; Capital social, instituições e desenvolvimento regional; Instrumentos recentes de planejamento regional no Brasil: A Política Nacional de Desenvolvimento Regional e os programas com foco no território; Experiências recentes de Planejamento Regional nos estados brasileiros; Reforma urbana e o atual marco jurídico-urbanístico brasileiro: as cidades brasileiras e a democratização do planejamento e da gestão urbanos; Instrumentos urbanísticos; Planos Diretores Municipais: panorama pós-estatuto da Cidade; Planejamento estratégico urbano: fundamentos econômicos, objetivos e diretrizes.

 

Mestrado e Doutorado

 

1. Disciplinas optativas

 

Abordagens Metodológicas e Técnicas de Pesquisa (2 créditos, 30 horas)

Ementa: Método e discurso científico nas ciências sociais. Abordagens metodológicas e técnicas de pesquisa em ciências sociais. Tendências teórico-metodológicas recentes. O projeto de pesquisa: elaboração. Etapas da pesquisa. II. Objetivos: a) discutir a importância do método para o desenvolvimento da pesquisa e da análise científica; b) identificar e caracterizar os principais métodos de interpretação utilizados na abordagem social; c) Estabelecer a aplicabilidade de abordagens metodológicas e técnicas de pesquisa. Construir o projeto de pesquisa.

 

Amazônia: fundamentos econômicos, socioculturais e políticos (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A disciplina objetiva apresentar os principais debates sobre a formação da Amazônia em seus aspectos histórico, econômico, sociocultural e político, apresentando as principais questões teóricas da sua interpretação enquanto região. Os debates se inscrevem na análise das teorias e dados sobre a ocupação da região por povos ameríndios pré-coloniais, e analise dos primeiros textos e ideários sobre a região, dos cronistas coloniais aos viajantes naturalistas dos séculos XVIII e XIX. Na formação da Amazônia contemporânea são abordadas as questões teóricas no que se refere a sua formação econômica e social, a partir de estudos de formação dos povos habitantes da região, e das formas econômicas e políticas que se reproduzem nessas dimensões territoriais, também são tratadas as ideias integradoras da região ao Brasil, a partir das políticas desenvolvimentistas e dos impactos de grandes projetos agroextrativistas e mineradores da região, os fluxos populacionais que dinamizam os modelos desenvolvimentistas. Por fim, são abordadas as condições de formação e de estudo de uma cultura amazônica e das dimensões que integram um homem amazônico.


Antropologia Social (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A partir dessa disciplina, pretender-se-á analisar as conexões entre a antropologia enquanto ciência contemporânea e os processos de desenvolvimento econômico, político e social, bem como, em tal contexto, discutir a importância do trabalho de campo e do conceito de cultura. Depois de uma abordagem histórica, serão revisitadas as transformações ocorridas desde o final dos anos de 1960; elas trouxeram à tona um paradigma novo em torno à problemática dos processos de descolonização, e ainda os avanços dos movimentos sociais e da consciência ambiental, o que ensejou desdobramentos que viriam consolidar a disciplina em sua dinâmica atual e enquanto abordagem central na discussão dos processos de desenvolvimento. Em parte, essa tendência nova foi produzida no contexto das instituições internacionais e das ONG, que passaram a sistematicamente absorver profissionais da área em seus quadros, mas também no âmbito dos movimentos sociais. É em tal ambiente que os debates acerca da sustentabilidade do desenvolvimento destacam-se, em especial a partir da antropologia econômica e da aplicada. Programa: 1. Propriedades e fatos do desenvolvimento segundo a antropologia; 2. O colonialismo na África, a teoria da mudança social e do desenvolvimento; 3. Metaideologia do desenvolvimento; 4. Antropologia do desenvolvimento e globalização; 5. Cultura a dimensão esquecida; os saberes tradicionais; 6. O Estado e as políticas públicas voltadas ao desenvolvimento; 7. As instituições no contexto do desenvolvimento FMI, BM, ONU; 8. As resistências, o poder dos movimentos sociais e as ONG; 9. Desenvolvimento e a participação dos antropólogos/cientistas sociais; 10. Discussões sobre sustentabilidade do desenvolvimento, ambientalismo, UC, populações tradicionais, produção de renda/mercados, mulher/gênero, gestão, governabilidade, turismo ecocultural etc.

 

Cultura, Política Pública e Diversidade Cultural (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Conceito de cultura: antropologia, sociologia política e estudos culturais; Símbolo; Estudo da cultura popular; Relação produção cultural e classes; Hegemonia; Habitus e campo social; Identidades e diversidade cultural; Hibridismo; Estudos de Fronteiras Culturais; Política cultural e políticas públicas.


Elaboração e Gestão de Projetos Públicos (2 créditos, 30 horas)

Ementa: Conhecimento dos principais fundamentos teóricos, metodológicos e operacionais da concepção, elaboração e gerenciamento de projetos públicos de desenvolvimento regional.

 

Espaço Público e Produção Social da Cidade (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Noções de espaço e de espaço público nas ciências da sociedade. Diferentes enfoques teórico-metodológicos na abordagem social do espaço público. Interacionismos, ações coletivas e conteúdos sociais do espaço público. Práticas urbanas e ritualizações: o sagrado e o profano nos espaços públicos. Direito à cidade versus direito à paisagem urbana: o uso do espaço público em questão. A gestão estratégica de cidades e a natureza mercantil dos espaços coletivos no mundo globalizado. Políticas urbanas e recuo da cidadania: o público e o privado na produção social da cidade contemporânea. Turismo, requalificação urbana e espetacularização do espaço público. Vivências, cidadanias e apropriação pública do espaço urbano.

 

Fundamentos Metodológicos do Neoinstitucionalismo (2 créditos, 30 horas)

Ementa: Apresentar o debate sobre as principais vertentes da teoria neo-institucional no âmbito das Ciências Sociais contemporâneas; Discutir os micro-fundamentos da teoria neo-institucional e suas aplicações; A criação e desenvolvimento das instituições e a mudança institucional; A particularidade das Instituições na explicação do desenvolvimento.

 

Gestão Ambiental (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A concepção de gestão e ambiente. Os fatores de desenvolvimento humano. O surgimento da gestão ambiental. As concepções da gestão ambiental. Visão e estratégias na gestão ambiental. As políticas de gestão ambiental. Formas de ação de gestão ambiental. As construções sociais da gestão ambiental. Gestão ambiental no Brasil e no mundo.

 

Métodos & Técnicas: cartografia temática (2 créditos, 30 horas)

Ementa: Conceitos de representação gráfica, visualização cartográfica e seus relacionamentos com elementos de multimídia, assim como nas técnicas de elaboração prática de cartografia temática, com vistas a sua aplicação, principalmente nas áreas das ciências sociais e econômicas.

 

Métodos & Técnicas: gestão de projetos de desenvolvimento (2 créditos, 30 horas)

Ementa: Fundamentos teóricos, metodológicos e operacionais. Elaboração e gerenciamento de projetos públicos de desenvolvimento. Objetivo: habilitar os alunos nos principais fundamentos teóricos, metodológicos e operacionais da concepção, elaboração e gerenciamento de projetos públicos de desenvolvimento. Método: o método do curso intercala sessões teóricas e práticas. Nas sessões teóricas serão abordados os principais conceitos e instrumentos de planejamento e gestão de projetos públicos de desenvolvimento. As sessões práticas serão dedicadas à realização de oficina de planejamento e gestão de projetos, bem como à execução de exercícios práticos para aplicação dos fundamentos teóricos. Avaliação: a avaliação será feita com base no trabalho final e na participação dos alunos durante as aulas. Programa: Unidade 1. Introdução a Elaboração e Gestão de Projetos de Desenvolvimento: Referencial Teórico e Conceitos Básicos Método Zopp; PMBOK; Conceituação e caracterização de plano, programa e projeto; ciclo de vida e gerenciamento de projetos. Unidade 2. Planejamento Estratégico e a Concepção do Projeto: Análise Situacional, Stakeholders e a Matriz de Envolvimento Institucional. Unidade 3. Formulação e Análise de problemas, objetivos e estratégias do projeto. Unidade 4. A Matriz de Planejamento do Projeto e a definição dos elementos estratégicos: A Carta do Projeto (Project Charter). Unidade 5. Planejamento Operacional do Projeto I - A Estrutura Analítica do Projeto (WBS) e a Gestão do Escopo do projeto. Unidade 6. Planejamento Operacional do Projeto II Gestão do Tempo e dos Recursos do Projeto: Definição e sequenciamento de atividades; estimativa de recursos, custos e duração de atividades; desenvolvimento e controle do cronograma físico-financeiro do projeto. Unidade 7. Elaboração e Gestão de Projetos Revisão dos Principais conceitos e Elaboração da Lista de Atividades do projeto.


Métodos e Técnicas: métodos qualitativos (2 créditos, 30 horas)

Ementa: O conhecimento científico e a importância do método. Os métodos de investigação científica e as especificidades das ciências da sociedade. A natureza dos métodos de investigação, para além da dualidade. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Métodos e técnicas de pesquisa qualitativa: definições, caracterização e especificidades. O uso dos diferentes métodos qualitativos nas ciências humanas e sociais. Seleção e pertinência de métodos qualitativos, com vistas ao planejamento da pesquisa.

 

Métodos & Técnicas: métodos quantitativos (2 créditos, 30 horas)

Ementa: Conceitos e objetivos da estatística. Sistemas estatísticos brasileiros. Estatística documentária. Dados estatísticos. Fases de um trabalho estatístico. População e amostra. Noções de amostragem. Aplicações das principais distribuições amostrais. Análise de dados qualitativos e pesquisa qualitativa. Elaboração de questionários. Definição de medidas: concepção de variáveis. Abordagens descritivas: tabelas e gráficos. Análise de dados quantitativos. Distribuições de frequências e seus gráficos. Medidas de posição e dispersão. Medidas de associação. Análise de correlação e regressão. Indicadores. Objetivo Geral: No final do curso, os alunos deverão ser capazes de fazer a análise estatística de dados qualitativos e quantitativos.

 

Métodos Quantitativos para Valoração Ambiental e Indicadores de Sustentabilidade (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Aplicam-se os métodos de estatística multivariada (Análise de Componentes Principais, Análise Fatorial, Análise de Aglomerados, Análise Discriminante), econométrica (Regressão Múltipla, Sistemas de Equações, Análise de Resíduos) a dados envolvendo séries temporais e cross-section, relativos às cadeias produtivas regionais e valoração de serviços ecossistêmicos da Amazônia. Por fim, aplica-se a análise intersetorial de insumo-produto e de contabilidade social às economias paraense, regional e brasileira.

 

Urbanização e Urbanodiversidade na Amazônia Brasileira (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Cidade e urbano: noções diferenciadas. Amazônia: urbanização e urbanodiversidade. Formação socioespacial e rede urbana na Amazônia. Diferenciação intra-Regional, Urbanização e Urbanodiversidade. Estratégias de Desenvolvimento Regional e Urbanização da Sociedade e do Território. Especificidade e Diversidade da Cidade e do Urbano na Fronteira Econômica e Tecno-Ecológica. Dinâmica socioespacial, produção do espaço intra-urbano e organização interna das cidades. Metrópoles, cidades médias e pequenas cidades na Amazônia. Industrialização, Grandes Projetos e Cidades-empresa. Tendências recentes da Urbanização regional.

 

Mestrado

 

Economia Ecológica e Valoração Ambiental (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A disciplina Economia Ecológica e Valoração Ambiental faz a interface entre os fundamentos da teoria econômica (teoria neoclássica e keynesiana) com a economia ecológica, integrando o sistema econômico e ao sistema ambiental e aplicando o resultado do conhecimento teórico gerado por meio do método integrado de avaliação contingente (MIAC), na perspectiva de gerar o valor econômico total dos ativos ambientais (produtos e serviços dos ecossistemas). A abordagem adotada vai além da aplicação dos conhecimentos da teoria neoclássica aos recursos naturais (economia ambiental) e desenvolve um marco sistêmico para a incorporação das ideias econômicas, sociodemográficas, ambiental e ecológica. Os elementos da análise de mercado de bens privados e bens de uso comuns, assim como a incorporação das externalidades e impactos gerados nos processos produtivos, os impactos das mudanças climáticas e os riscos advindos dessas mudanças, as estratégias de adaptação e respostas a esses processos irão compor a construção de indicadores para municiar a elaboração de políticas públicas voltadas a um padrão de desenvolvimento que inclua a sustentabilidade numa dimensão não discursiva mas substantiva. A metodologia de trabalho exercita a interdisciplinaridade, por meio da apresentação e discussão de conteúdo teórico pelo professor e interação com os alunos, seguido da atividade sobre a mesma temática desenvolvida e apresentada pelos alunos e interação do professor, atividade conjunta para análise das dimensões econômicas, sociodemográficas, ambientais e ecológicas, para identificar variáveis relevantes, criar instrumento de coleta de dados e especificar modelos estatísticos e econométricos. Por fim, compartilhar os resultados do conhecimento gerado na disciplina em um debate aberto para a participação de especialistas convidados e professores.

 

Elaboração de Projeto de Pesquisa (2 créditos, 30 horas)

Ementa: Método e discurso científico nas ciências sociais. Abordagens metodológicas e técnicas de pesquisa em ciências sociais. Tendências teórico-metodológicas recentes. O projeto de pesquisa: elaboração. Etapas da pesquisa.

 

Fundamentos Ecológicos do Desenvolvimento Sustentável (4 créditos, 60 horas)

Ementa: O objetivo é introduzir o aluno às principais áreas e abordagens da ecologia do Trópico Úmido assim fornecendo uma base para estudos mais avançados em ecologia e para estudos interdisciplinares. A disciplina abordará os seguintes temas com uma ênfase nos Trópicos Úmidos: a ecologia evolutiva incluindo a teoria de seleção natural e a ecologia de populações e comunidades, a ecologia de sistemas incluindo os ciclos biogeoquímicos da biosfera e a estrutura e funcionamento de ecossistemas, a origem e distribuição de regiões climáticas, e a ecologia da Amazônia abordando teorias da origem da biodiversidade e a relação entre clima, cobertura vegetal e ciclo hidrológico na Amazônia. Conteúdo programático: Módulo 1: Ecologia Teoria de seleção natural e evolução. Nicho ecológico e ecologia de populações. Ecologia de comunidades e ecossistemas. Estrutura e funcionamento do ecossistema/biosfera, serviços ambientais. Biodiversidade: teorias e aplicações. Módulo 2: Ecologia Política. População, tecnologia e meio ambiente: Malthus vs Boserup. A Tragédia dos Comuns e Teorias de Ação Coletiva. Economia Moral vs Teorias de Ação Coletiva. Evolução da Sociedade Humana.

 

Fundamentos Econômicos do Desenvolvimento Sustentável (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Instrumentar os mestrandos com matrizes fundamentais do pensamento econômico sobre a dinâmica social, a partir da leitura crítica de autores seminais. Objetivos: permitir aos estudantes identificar, nas matrizes, os fundamentos teóricos e metodológicos de discursos e práticas modernas sobre o desenvolvimento econômico; discutir os fundamentos metodológicos das correntes fundamentais de interpretação da dinâmica econômica; contextualizar historicamente o pensamento econômico sobre a evolução social; discutir os limites do enfoque econômico na percepção da dinâmica social. Parte I A economia política marxista: a lei do valor e os fundamentos estruturais da evolução do modo de produção Parte II Os fundamentos da economia Neo-Clássica Parte III-Os Fundamentos da Dinâmica Capitalista em Schumpeter e Keynes.

 

Fundamentos Sociológicos, Políticos e Antropológicos do Desenvolvimento Sustentável (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A disciplina discute as dimensões do conceito de desenvolvimento: visão geral. As contribuições clássicas da sociologia para uma teoria do desenvolvimento da sociedade. As principais discussões sobre desenvolvimento na América Latina. Desenvolvimento Regional: das teorias clássicas ao debate atual. Desenvolvimento Sustentável.

 

Gestão Ambiental (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A partir das discussões sobre as implicações ambientais do desenvolvimento econômico, a disciplina analisa criticamente os instrumentos criados para gestão de crises ecológicas globais, regionais e locais. Aborda de forma teórica e prática os principais instrumentos econômicos de gestão ambiental via mercado, bem como outros mecanismos de coordenação extra-mercado e seus desdobramentos no campo político/institucional. Por fim, são aprofundados os grandes temas sobre a gestão de crises e conflitos ambientais na Amazônia.


Metodologia Geral
(4 créditos, 60 horas)

Ementa: Nesta disciplina discutir-se-á questões relativas à produção científica e do conhecimento, com ênfase nas estratégias qualitativas para a construção do objeto, produção do projeto de pesquisa e, ainda, quanto à realização propriamente dita da pesquisa. Também, a ciência do concreto, a problemática das generalizações e da interdisciplinaridade serão enfrentadas. Tratar-se-á, ainda, das estratégias de pesquisa quanto à produção do dado e desenvolvidas nos âmbitos da antropologia (observação participante), da história oral e da documentação. A importância do método e das estratégias de pesquisa em toda a sua complexidade será ressaltada e analisada em sala e a partir de um survey / pesquisa exploratória, com vistas a planejamento de estudo de caso. E por fim, discutir-se-á a problemática da ética e de suas implicações para as instituições, cientistas e populações envolvidas na pesquisa.

 

Planejamento do Desenvolvimento Regional (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Apresentar as recentes teorias e experiências no campo do Planejamento Público e do Desenvolvimento Regional e Urbano no Brasil, objetivando fornecer uma base de informações sistemáticas que possam contribuir para a busca de novas concepções e melhores formas de inserção do planejamento regional e urbano na atual conjuntura de globalização econômica. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: I. Introdução à Temática do Planejamento do Desenvolvimento II. Globalização e Desenvolvimento Local III. Fundamentos Teóricos e Metodológicos do Planejamento Público IV. Evolução Histórica do Planejamento Público no Brasil e na Amazônia V. Planejamento Participativo, Capital Social e Desenvolvimento Regional 1) Planejamento, Políticas Públicas e Estratégias de Governo. 2) Planejamento e Orçamento VI. Políticas Recentes de Desenvolvimento Regional do Governo Brasileiro VII. Planejamento Estratégico Urbano VIII. O Atual Marco Jurídico Urbanístico Brasileiro (I) 1) Participação popular e democratização da gestão; e 2) Planos Diretores Participativos IX. O Atual Marco Jurídico Urbanístico Brasileiro (II) X. Instrumentos de controle do uso do solo urbano XI. Experiências Recentes de Planejamento e Gestão Urbana no Brasil e na Amazônia XII. Experiências Recentes de Planejamento e Gestão Urbana no Brasil / Amazônia II XIII. Experiências recentes de Planejamento Regional nos estados brasileiros XIV. Planejamento Regional com foco em Arranjos Produtivos Locais XV. Planejamento, Universidade e Desenvolvimento Regional na Amazônia.

 

Recursos Florestais: gestão, economia e implicações sociais (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A disciplina focaliza no uso sustentável dos recursos florestais tropicais, com especial ênfase à floresta Amazônica. Aspectos sociais, econômicos e ambientais serão analisados sob a ótica da gestão pública de florestas, numa perspectiva de produção e gestão multifuncional de bens e serviços que contribuam para modelar as alternativas de desenvolvimento sustentável que incluam a economia florestal.


Seminário de Pesquisa – Mestrado (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A concepção da pesquisa científica e o enfoque interdisciplinar. O design da pesquisa, seus elementos e suas inter-relações. Métodos de interpretação e métodos de pesquisa como instrumentação da análise científica. O plano de redação, a construção da argumentação científica e sua sistematização.

 

Doutorado

 

Abordagens Metodológicas: campo social (2 créditos, 30 horas)

Ementa: A disciplina tem o objetivo de apresentar e discutir o conceito de campo social, os elementos do campo social, interação entre os elementos do campo social, conflitos e consensos no campo. O habitus. A noção de capital cultural.

 

Elaboração de Projetos Públicos (2 créditos, 30 horas)

Ementa: O método do curso intercala sessões teóricas e práticas. Nas sessões teóricas serão abordados os principais conceitos e instrumentos da elaboração e gestão de projetos públicos de desenvolvimento. As sessões práticas serão dedicadas à realização de exercícios para aplicação dos fundamentos teóricos e operacionais.

 

Formação Econômica e Social do Brasil e da Amazônia (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Oferta de um conjunto de informações sistemáticas, referentes aos principais fatos da vida econômica, social, política e cultural do Brasil, em geral, e da Amazônia, em particular, o qual possa contribuir para uma melhor compreensão da atual situação econômico-social, tanto do país como da região amazônica. Apoio à busca de novas concepções e melhores formas de inserção do desenvolvimento regional e local, na atual conjuntura de globalização econômica. Abordagem de tema relevante da história econômica e social brasileira, enfatizando os aspectos regionais. Exposição do tema. Debate coletivo. Leitura da bibliografia indicada para cada tema. Resenhas dos textos.  

 

Fronteiras na Pan-Amazônia: perspectivas ambientais, historicoeconômicas e étnoculturais (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Com esta disciplina, busca-se efetivar uma reflexão sobre as perspectivas ecológicas, históricas e contemporâneas sobre as áreas de fronteiras e, particularmente na Pan-Amazônia. Nesses termos, trabalhar-se-á com a perspectiva metodológica interdisciplinar a partir da literatura produzida a respeito. Privilegiar-se-á o que se pode denominar de polos ou circuitos fronteiriços que envolvem a fronteira internacional do Brasil contexto da região centro-noroeste do Brasil, ou seja, nas fronteiras socioeconômicas com os países pan-amazônicos que fazem fronteira com esse país. Além das questões teóricas, ecologias e históricas, analisar-se as tendências atuais em termos de sócioeconomia, de cultura, de turismo, de gênero etc. O que se espera com esta disciplina é que os alunos não só tenham uma compreensão sobre essa macrorregião desde as fronteiras dos países que a integra, mas também que produzam um texto científico.

 

Fundamentos da Teoria Neoinstitucional (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Apresentar o debate sobre as principais vertentes da teoria neo-institucional no âmbito das Ciências Sociais contemporâneas. Discutir os micro-fundamentos da teoria neo-institucional e suas aplicações. A criação e desenvolvimento das instituições e a mudança institucional. A particularidade das Instituições na explicação do desenvolvimento.

 

Metodologia Interdisciplinar (4 créditos, 60 horas)

Ementa: A interdisciplinaridade como abordagem metodológica. Discute-se a interdisciplinaridade como um esforço epistemológico em abordar o objeto científico e percebê-lo no espaço de suas múltiplas relações.

 

População e Desenvolvimento (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Componentes da dinâmica demográfica - fecundidade, mortalidade e migrações - conceitos e métodos de análise; Demografia do risco ambiental; Saúde e meio ambiente; Políticas de população e seus resultados em diversos Componentes da dinâmica demográfica - fecundidade, mortalidade e migrações -, conceitos e métodos de análise; Demografia do risco ambiental; Saúde e meio ambiente; Políticas de população e seus resultados em diversos contextos; Aplicação desses conceitos no caso do Brasil e da Amazônia; Cálculo e análise dos indicadores demográficos básicos.


Seminário de Pesquisa I – Doutorado (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Analisar teorias sociológicas contemporâneas desde uma perspectiva crítica e dialógica no marco da interdisciplinariedade. Durante o seminário se aprofundarão nas estratégias e metodologias de pesquisa a partir de textos originais, e da sua aplicação pratica numa observação empírica, dando ênfase em dois aspectos: a metodologia, forma e a lógica da teoria das decisões. Selecionaram-se basicamente três “escolas” ou correntes sociológicas: critica, sistêmica e fenomenológica.


Sociedade, Natureza: dinâmica dos sistemas de uso comum na Pan-Amazônia (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Interpretações das relações Sociedade, Natureza. Abordagens dos Commons.  Perspectiva histórica: Os sistemas de uso comum e as transformações na sociedade inglesa nos séculos. Perspectivas institucionais. Sistemas de Uso Comum em debate. Noção de Terras tradicionalmente ocupadas.Relações econômicas e sociais no manejo de recursos. Teoria da Reciprocidade na Antropologia Econômica. Enfoque Jurídico. Recursos Comuns e Mercado. Instituições e Recursos Comuns.

 

Tópicos Avançados em Ecologia do Desenvolvimento Sustentável (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Ecologia do Trópico Úmido, com ênfase na Amazônia. Estudos interdisciplinares, tendo a Amazônia e o desenvolvimento sustentável como foco da disciplina. Impactos antrópicos em sistemas florestais, a ecologia de sistemas aquáticos, a ecologia de paisagens e processos de transformação da paisagem amazônica, a conservação da biodiversidade e mudanças climáticas, incluindo teorias de mudança climática e os impactos antrópicos nos ciclos biogeoquímicos.


Teoria de Estado (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Breve retrospectiva da concepção liberal do Estado moderno; Perspectiva estatista de M. Weber; Teoria negativa da política em Marx e Engels; O Estado como produto irreconciliável dos interesse de classe; Teoria ampliada do Estado em Gramsci; Estado como condensação dos interesse de classe e frações de classe; Desdobramentos das teorias de Estado; Teorias sociais e a sociedade; Política como sistema social da sociedade; Notas sobre o Estado de Bem-Estar Social; Globalização e a nova configuração do Estado; Neoliberalismo e a constituição do Estado Nacional

 

Tópicos Avançados em Economia e Desenvolvimento Sustentável (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Teorias que produzem convergência entre as matrizes fundamentais do pensamento econômico, constituindo abordagens do desenvolvimento econômico e suas fontes motrizes; discursos e práticas hodiernas sobre o desenvolvimento econômico; fundamentos metodológicos das correntes fundamentais de interpretação da dinâmica econômica; pensamento econômico sobre a evolução social; limites do enfoque econômico na percepção da dinâmica social. Objetivo Geral: Instrumentar os doutorandos com as teorias que produzem convergência entre as matrizes fundamentais do pensamento econômico constituindo abordagens do desenvolvimento econômico e suas fontes motrizes. Objetivos específicos: 1) Permitir lidar criticamente com os discursos e práticas hodiernas sobre o desenvolvimento econômico; 2) Discutir os fundamentos metodológicos das correntes fundamentais de interpretação da dinâmica econômica; 3)Contextualizar historicamente o pensamento econômico sobre a evolução social; 4)Discutir os limites do enfoque econômico na percepção da dinâmica social.


Tópicos Avançados em Sociedade e Desenvolvimento (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Nesta disciplina serão repassadas as principais matrizes teóricas do debate intelectual sobre sociedade e desenvolvimento na perspectiva das ciências sociais e dos paradigmas que ainda orientam a formulação de estratégias e de políticas. As questões contemporâneas e as filiações teóricas constituem objeto de análise, de argumentação e de exercício de aplicação e interpretação. Serão ainda repassados temas como: Desenvolvimento econômico como processo de transformação dentro de economias predominantemente capitalistas e a dinâmica da acumulação dentro de modelos divergentes, estratégias da industrialização e modernização; Desenvolvimento sustentável como novo referencial normativo, incluindo as dimensões social e ecológica além da econômica numa forma mais autônoma.


Trajetórias Tecnológicas, Dinâmica Agrária e Configurações Urbano-Rurais na Amazônia (4 créditos, 60 horas)

Ementa: Instruir alunos do PPGDSTU/NAEA (mestrado e doutorado) e de outros programas de pós-graduação sobre as frentes de convergência teórico-metodológicas de interpretação da dinâmica agrária na Amazônia; 2) Discutir de que modo as questões que daí ressaltam interpelam a noção de desenvolvimento sustentável; 3) Oferecer possibilidades de leitura das realidades amazônicas com base nessas perspectivas.