Egressos

Durante os mais de 35 anos de existência, primeiramente por meio do Mestrado e logo sem seguida pelo Doutorado, o Programa tem alcançado resultados expressivos por meio do sucesso de seus egressos. A formação proporcionada pelo PPGDSTU possibilita a qualificação de profissionais que atuam como multiplicadores dos conhecimentos adquiridos no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão. Os egressos do Programa encontram-se desenvolvendo atividades em diversas instituições, tanto do Brasil quanto de outros países, principalmente aos pertencentes a Pan-Amazônia como Colômbia, Venezuela, Peru, Bolívia e Equador. Sendo que alguns dos discentes do Programa são oriundos destes países. Diante disso, as contribuições do PPGDSTU para a construção do espaço acadêmico na Amazônia são amplamente visíveis, garantindo ao Programa reconhecimento e liderança, além de relativa facilidade de organizar redes de pesquisa em nível nacional e internacional.

A presença das abordagens realizadas pelo Programa em outras instituições ocorre, também, por meio da inserção de egressos do PPGDSTU em IES de outros estados da federação. As instituições onde atuam os egressos do NAEA como docentes ou pesquisadores são: EMBRAPA, UFRA, UFMA e UEMA (28 egressos), UNIFAP (10 egressos, dois destes ocuparam a Pró-reitoria de pesquisa dessa Universidade e uma ocupa, desde 2011, a reitoria da UEAP), UFOPA (18 egressos em nível de mestrado e doutorado); em Rondônia, teve-se o DINTER com a UNIR (15 egressos); na UFF (um egresso), na UEA (um egresso do PDTU em Manacapuru e um do PLADES em Tabatinga), na UFRR (três egressos), na UFMT (dois egressos), na UFRN (um egresso). Até 2014 e na própria UFPA, 42 egressos do mestrado e doutorado eram docentes da instituição; nesse ano, entrou no quadro dessa Universidade mais um egresso do PDTU, duas egressas do PLADES (sendo uma doutoranda do PDTU). Em 2017 o Programa alcançou o total de 664 egressos desde sua criação.

Muitos egressos do PPGDSTU prestaram concursos nas Universidades e Institutos Federais da região amazônica, tendo sido aprovados, o que aumentou a inserção do Programa na educação de nível superior na Amazônia. Também ocupam quadros em Institutos de Pesquisa (Museu Goeldi), e IES privadas, na Amazônia e em outras regiões do Brasil. Diversos egressos de países da Pan-Amazônia retornaram aos seus locais de origem e hoje também atuam em universidades, centros de pesquisa e quadros governamentais. Dentre os alunos alguns se destacam na criação de grupos de pesquisa e na nucleação de novas pós-graduações. Ana Cristina Pimentel Carneiro de Almeida atua no PPGDOC/UFPA; José Heder Benatti no Progama de Pós-Graduação em Direito, UFPA; Carlos Alexandre Leão Bordalo no PPGEO/UFPA; Fabrício Quadros Borges no PPGADM/UNAMA; Denise Machado Cardoso no PPG em Ciências Sociais/UFPA; Luciana Miranda Costa no PPGCOM/UFPA; Luis Henrique Cunha no Programa de Pós Graduação Em Sociologia – UFCG, Vivien Diesel no Programa de Pós-Graduação em Extensão rural- UFSM; Márcia Jucá Teixeira Diniz no PPG em Economia UFPA; Carolina Rodrigues da Costa Dória no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente e da Rede Bionorte/UNIR; Heloísa Pacheco Ferreira na UFRJ; Antonio Sergio Filocreão no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional-UNIFAP; José Alberto da Costa Machadom PPGDR/UFAM; Pedro Marcelo Staevie, UNILA; Wilker Ricardo de Mendonça Nóbrega, coordenador do Doutorado em Turismo/UFRN; Elis de Araujo Miranda, Vice-coordenadora do Mestrado em Geografia, UFF; Larissa Latif Saré, professora colaboradora no Doutorado em Estudos Culturais, Aveiro, Portugal; Erika Matsuno Nakazono na Universidade Estadual do Maranhão; Mônica de Nazaré Araujo na UFMA; Montserrat Rios na USFQ, Equador; Jacqueline Cunha da Serra Freire na UNILAB; Maria Luiza Almeida Cunha de Castro na UFMG; Ana Cristina Mendes de Oliveira, UO-Noruega; Camilo Torres Sánchez, UFAM (Informações detalhadas no site do Programa).

Maurílio de Abreu Monteiro, ex-aluno é Reitor na UNIFESSPA, e a ex-aluna Raimunda Monteiro é Reitora da UFOPA.

O ex-aluno Edmilson Rodrigues foi prefeito de Belém/Pa por dois mandatos e atualmente é Deputado Federal.

  

Produção intelectual

O corpo docente do PPGDSTU possui significativa produção intelectual por meio da frequente publicação de livros e capítulos, alguns lançados pela editora universitária NAEA/UFPA, editoras de outras instituições de ensino superior e também editoras comerciais nacionais e internacionais. Além de que muitos docentes integram comissões editoriais de periódicos nacionais e internacionais, dentre os quais pode-se destacar o Asia Pacific Journal of Management; Papers in Regional Science; Acta Amazonica; Chelonian Conservation and Biology; Biological Conservation; Herpetologica (Austin, TX); International Political Science Review; Ambiente e Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Sciences; Cuadernos de Geografìa; Natural Hazards and Earth System Sciences; Revista Lusófona de Estudos Culturais (Portugal) e Revista Mundo Agrario (Universidad Nacional de La Plata - UNLP, Argentina). Alguns professores foram contemplados com a Bolsa de Produtividade em Pesquisa, do CNPq, reforçando não apenas a qualidade dos pesquisadores que integram o quadro docente, mas também o trabalho desenvolvido pelo programa no contexto amazônico.

 

Outras cooperações

Atualmente o Programa mantém cooperações com: Universidade de Kassel (Alemanha), para o projeto “Quantificação de Biomassa Nativa e Secundária para Financiamento do Desenvolvimento Regional no Estado do Pará”; Universidade Nacional Autônoma do México; Universidade da Flórida (EUA); Universidade de Aveiro (Portugal) e Universidade do Minho (Portugal) para o projeto “ Turismo cultural e patrimonialização: campo de relações, referências culturais e gestão para a visitação”; Columbia University (EUA); Waterloo University (Canadá), Indiana Univerisity (EUA); Lancaster Universit (Reino Unido); Imperial College London (Reino Unido) para os projetos “Insegurança alimentar e capacidade de adaptação à mudança climática de populações estuarinas e ribeirinhas na Amazônia”, “Developing a tool for predicting urban food insecurity and biodiversity threats during drought conditions in Amazonia”, e “Impacto e adaptação do da população ribeirinha Amazônica às mudanças climáticas no estuário paraense” ; Universidad de la Habana (Cuba), para o projeto “Rede Brasil-Amazônia de Gestão Estratégica em Defesa, Segurança Pública e Desenvolvimento”; Christian-Albrechts-Universiätzu Kiel (Alemanha), para pesquisas em Dinâmicas de urbanização e projetos de requalificação urbana em áreas centrais e portuárias; City University of New York (EUA) e Universidad de Florencia (Colombia), na elaboração da Enciclopédia Cooperativa de Mulheres Pan-Amazônicas; Universidade Paris III (França); Universidade de Göttingen (Alemanha); Universidade Livre de Berlin (Alemanha); Universidade de Barcelona com o Group of Research & Analisys on Public Administration (GRAPA) e o Observatorio de Politicas Municipales; Universidade Politécnica de Catalunya (Espanha) na Cátedra UNESCO de Sustentabilidade e Rede RESURBE (Transição sistêmica das cidades em sistemas mais resilientes, através de processos participativos, com base em inovação social e co-evolução), que conta ainda com as Universidade de Bradford (Reino Unido), Universidade de Bielefeld (Alemanha) e Institut d'Estudis Catalans (Espanha); Academia Chinesa de Ciências (China); University of Tsukuba (Japão) para o projeto “Cadastro Ambiental Rural por pequenos produtores de Tomé-Açu, PA”; Rede Latino-americana de Ciências Sociais em Estudos sobre Represas RELER. Possui projetos em cooperação financiados ou apoiados por Newton International Fellowship (Reino Unido); Netherlands Organisation for Scientific Research (Holanda); Centrum voor Studie en Documentatie van Latijns Amerika, CEDLA (Holanda); World Wildlife Fund (EUA); United Nations Organization for Education, Science and Culture – UNESCO; International Development Research Center (Canadá); Deutscher Akademischer Austauschdienst (Alemanha); Fundação Ford (EUA); Ministério de Meio Ambiente da Espanha; Organização do Tratado de Cooperação Amazônica; Sociedade Cubana de Ciencias Penales; Conservation International (EUA); Fundação Gordon & Betty Moore (EUA); Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID. Como um importante mediador das discussões sobre questões que fazem parte da temática amazônica, como meio ambiente, sociedade e desenvolvimento sustentável, o PPGDSTU possui assento no Conselho da Sociedade Internacional da Biodiversidade do Escudo Guianês (IBG).